terça-feira, 14 de outubro de 2014

A Mesquita Azul - Capítulo 4

No post anterior, disse que o dia 21 de agosto havia sido intenso. E foi mesmo! Cheguei da corrida, tomei meu banho, fui ao restaurante tomar café e quando passei pela recepção, pronto para começar minhas visitas... o recepcionista informa que iria mudar de apartamento. Ótimo, só que não... e explico. A camareira ainda ia arrumar o novo quarto e isso ia levar um tempinho. Bom eu poderia sair e deixar tudo por conta deles, porém estava tudo espalhado, muita coisa fora das malas... e o jeito foi aguardar um pouco.  E isso consumiu uma parte da manhã e por volta de 11 horas da manhã. E o que fazer? Visitar a Mesquita  Azul. O plano inicial seria ir ao Palácio Topikapi.
Fachada da Mesquita Azul com os seis minaretes
Como a experiência do dia anterior havia sido traumatizante, filas e mais filas... cheguei à Mesquita Azul sem muitas esperanças, mas a calma nos jardins já denunciava que tudo iria correr bem.
Uma das coisas que mais gostei é que a maioria das Mesquitas possui um belo jardim e isso dá uma sensação muito boa.
Passei pelo pátio interno e havia algumas pessoas na fila, mas eram religiosos. Turistas entram por outra porta. Confesso que estava ansioso para entrar, afinal a Mesquita Azul  é uma das mais bonitas do mundo.
Na área reservada aos turistas havia uma fila, mas nada lembrava a do dia anterior. Em poucos minutos passava pela porta. Estava de bermuda, mas como era na altura do joelho não precisei usar uma espécie de pareô. Alguns homens tiveram que vestir porque estavam de shortinho curto.... eu fiquei com vontade de fotografar, mas vamos preservar a intimidade das pessoas...
E essa foi a minha primeira visão da Mesquita Azul. Um amplo salão, o pé direito altíssimo e um silêncio misturado ao falatório dos turistas.
As belíssimas semicúpulas da Mesquita Azul - saí com dor no pescoço de tanto olhar para cima... 
A Mesquita Azul foi construída no período do sultão Ahmet I. Em turco a mesquita é chamada de Sultanahmet Camil. Na época, Ahmet I tinha apenas 19 anos e o seu entusiasmo era tão grande pelo projeto que ele chegou a trabalhar ao lado dos operários. O que Ahmet I queria mesmo era superar  a Mesquita de Suleiman, projetada por Sinan, e a Basílica de Santa Sofia - a construção fica exatamente em frente.  E parece que o esforço valeu a pena, pois a Mesquita Azul é, realmente, linda!
E por que Mesquita Azul? Por causa do reflexo azul criado pelos azulejos, que por sinal são muitos. Nada mais nada menos que 20.143, isso mesmo, vinte mil cento e quarenta e três azulejos foram utilizados na decoração da Mesquita.
Na foto acima, apesar de não estar muito nítido, vocês podem observar que há uma cerca que separa os turistas. Apenas os muçulmanos podem ultrapassar a área cercada e ali fazer suas orações.

Êpa! O que você está fazendo aí Jorge? Por que você não está do outro lado da cerca????  fui convidado a passar a cerca e visitar a Mesquita. E nem acreditei. O homem que vigiava a cerca me olhou e estendeu a mão num gesto "pode entrar". E eu entrei! Talvez por estar com uma camiseta escrito "Turquia" ou pensaram que eu era egípcio ou marroquino.

E aproveitei cada minuto que fiquei na área reservada. Na foto acima está o "Minbar" púlpito  onde os imãs pronunciam sermões. E na foto abaixo o "Mihrab", nicho de oração que aponta na direção de Meca
Muito mármore e ornamentos dourados.

Discretamente fiz essas fotos com os religiosos no momento de oração
Como eu disse havia silêncio no meio do falatório e uma sensação de Paz indescritível.
O tapete da Mesquita Azul  dispensa comentários
E olha eu aí de novo, feliz sentado sobre o tapete da Mesquita.

O pátio da Mesquita Azul é todo revestido de mármore da ilha de Mármara e tem as mesmas dimensões do salão interno. No centro do pátio fica a Fonte das Abluções, mas não é mais utilizada. atualmente os fiéis usam  torneiras que ficam na parte externa do pátio. E os muçulmanos lavam o rosto, braços, pescoço, pés, boca e nariz. Este é o ritual.

Uma das entradas da Mesquita Azul

E a minha visita terminou com a tentativa de fazer a dança dos dervixes....estava mesmo muito inspirado!


Eu tentei...
No portão da saída a vista para a Hagia Sophia
Visitar a Mesquita Azul é, antes de tudo, uma experiência. Tranquilidade, paz, contemplação e reflexão. Uma obra grandiosa, o talento de um arquiteto e a determinação de um monarca. Um último detalhe a Mesquita não abre às sextas-feiras, portanto quando forem  visitar Istanbul, lembrem-se disso.
E o dia não terminou aqui... fiz ainda duas visitas incríveis. Aguardem o próximo post.

6 comentários:

  1. Que bom viajar de novo. Gosto muito do jeito que vc escreve. Continue.
    Candida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Cândida! E essa viagem vai durar...
      Beijos

      Excluir
  2. Estou adorando os relatos, Jorge! Quero muito conhecer a Turquia - espero fazê-lo num futuro breve - e seus posts são inspiradores!
    Beijinho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cris
      Prepare-se para viver grandes emoções nesse país. A Turquia é um verdadeiro encanto.
      Beijos

      Excluir
  3. Esta mesquita é mt linda!
    Só vc mesmo para conseguir entear na área reservada e tirar estas fotos.
    Apesar de estarmos ao lado dela, deixamos ela para o penúltimo dia. Foi a cereja do bolo. Tb não estava cheia como neste dia da sua visita.
    Tb tenho uma camisa igual a sua.
    Agora que já peguei carona no seu passeio, já posso dormir.
    Amei esta cidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kátia,
      Acho que foi um sinal.... o homem me viu e estendeu os braços franqueando a entrada. Eu adorei!
      Beijos

      Excluir

Curtiu a viagem? Então comente e deixei o blogueiro feliz!

Balcão de Perguntas

Nome

E-mail *

Mensagem *