quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Descobrindo Istanbul - Capítulo 2

Istanbul, 20 de agosto de 2014
Acordei por volta de seis da manhã. Inacreditável para quem viajou uma noite inteira e dormiu pouco, mas havia prometido para minha endocrinologista que iria correr todos os dias. E assim foi. Ao chegar à recepção do Hotel, uma boa notícia: as malas chegaram. A Air France as entregou ainda na madrugada. Ufa! Saí e fui correr...e lamentei não estar com o smartphone para clicar a cidade acordando. 

Depois do café da manhã, fui explorar a cidade. Acho admirável quem sai do Hotel com um roteiro prontinho para passear. E acho mais admirável ainda, quem sai do Brasil com agenda pronta com todos os passeios organizados e os lugares a serem visitados. E eu sou o contrário de tudo isso, vou saindo e deixando a cidade me levar. Claro que a organização ajuda, mas não consigo. Quem sabe um dia...
Saindo do Hotel Kupeli, eu subia uma ladeirinha e já chegava em uma das ruas principais da cidade velha, onde passa o tramway E ao terminar a ladeira a primeira visão é a da Coluna de Constantino, ou seja, um tropeço na história. Essa coluna de 35 metros ocupava o centro do fórum de Constantino, e exibia no alto uma estátua do Imperador vestido como o deus Apolo. Foi erguida como parte dos atos de inauguração da nova capital do Império romano em 330!
E quase em frente à Coluna de Constantino, fica o Banhos de Çemberlitas, construído no século XVI e projetado por Sinan. Ainda vamos falar muito de Sinan. E só esse pequeno passeio já me deixou sem fôlego.

Lembram do Cemitério? Olha ele lá do outro lado da rua... e eu pensando: "para onde ir???" Desci a rua e fui em direção à Mesquita Azul, achei que ia ser um bom começo.
Lá atrás a imponente Mesquita Azul
Fonte do Kaiser Guilherme II. Foi um presente do imperador alemão ao Sultão Abdul Hamit II em 1901 e fica na Praça Sultanahmed (antigo Hipódromo), que por sinal, era um dos cenários das minhas corridas matinais em Istanbul.
Além da fonte, a praça abriga dois obeliscos. O primeiro, com inscrições hieroglíficas, foi trazido à istanbul pelo Imperador Teodósio. O segundo, conhecido como Obelisco Murado foi originalmente decorado com placas de bronze dourado, com escritos que relatavam as vitórias de Basílio I, avô de Constantino VIII.
   
Coluna Serpentina (ou das Serpentes), foi trazida por Constantino, o Grande,   do Templo de Apolo em Delfos, na Grécia, e data de 479 a.C. A coluna leva esse nome porque é constituída por três serpentes entrelaçadas, cujas cabeças sustentavam uma bandeja de ouro. Ao que parece, até o século XVI as cabeças das serpentes estavam no lugar. Porém, só resta uma cabeça, que está no Museu Arqueológico de Istanbul.

Depois de admirar a Praça, caminhei em direção à Mesquita Azul e a fila para entrar dava mil voltas. Motivo: Cruzeiros na cidade. Dois ou três navios. Sem estresse, afinal tudo é diversão, segui para a Hagia Sophia.
Hagia Sophia ou Ayasofya, em turco, é a ex-Basílica de Santa Sofia, também conhecida como Igreja da Sabedoria Divina. Aqui, para não prolongar muito, a história é a seguinte: foi construída no local de uma Igreja destruída pelo fogo em 404, e depois, no lugar de outra, derrubada durante a Revolta de Nika em 532. A atual foi inaugurada pelo Imperador Justiniano em 537 e permanece até hoje, apesar das guerras e terremotos. Foi convertida em Mesquita em 1453 - após tomada de Constantinopla pelos turcos - e, desde 1934 foi transformada em museu. E haja História! 
E tudo que posso dizer é que você fica meio tonto, meio bobo, meio sem saber o que fazer diante de tanta riqueza e beleza, representada nos diversos mosaicos espalhados pelas paredes, bem como os símbolos da fé muçulmana. A visita pode levar horas ou minutos, de acordo com o gosto do freguês. Quem me conhece sabe que fiquei muito tempo nesse edifício monumental.
 E não havia como ser diferente...a arte está em todos os lugares, em cada detalhe. 


Os belíssimos medalhões caligráficos que enfeitam a nave. Podemos notar no alto que as paredes estão "sujas" de branco, ainda resultado do gesso que cobria os mosaicos, após a conversão da Igreja em Mesquita. Estes mosaicos só foram descobertos na década de 1930 e passam por processo de restauração.
No passeio pela nave, vamos descobrindo objetos de grande valor, como este jarro de mármore do período helenístico, usado em ocasiões especiais para distribuição de água. A peça foi trazida da antiga cidade de Pérgamo pelo Sultão Murad III (séc. XVI).

O Sultão Mahmud I fazia suas leituras nesse local, onde ficava sua Biblioteca

Não é uma marca de tiro na parede, nada disso. Trata-se do Pilar Milagroso. Dizem que o Imperador Justiniano encostou a testa no pilar de pedra e foi curado na hora. E por isso, os visitantes também repetem o gesto. Eu não fiquei fora dessa.

O segundo andar da edificação guarda verdadeiras relíquias, além de presentear os visitantes (sobretudo os mais altos) com vistas maravilhosas.
Vista da nave a partir do segundo andar do edifício
Essa parede que divide uma das alas é toda feita em mármore.

Os Mosaicos
Virgem Maria, Jesus Cristo e João Batista
A Virgem segurando Cristo, ladeada pelo Imperador  João II Comneno e a Imperatriz Irene.
Mosaico com o Cristo Pantocrátor

E das janelas, a garantia dessas fotos maravilhosas. Como é bom ter 1,83 mts...heheh
Satisfação total!!!!

Muitas pessoas saem de Santa Sofia e não se dão conta do belíssimo mosaico de Constantino e Justiniano, que oferecem a cidade e a igreja ao Menino Jesus. Este mosaico fica no térreo, acima da porta que dá para o Vestíbulo dos Guerreiros. Fica a dica, e é valiosa!
Terminada a visita, pausa para compras e beber o maravilhoso suco de romã. 
Sem sombra de dúvidas, Hagia Sophia foi a visita do dia. E depois de tanta informação e de um grande mergulho na História, um almoço (que ficou sem registros - fome???), um descanso rápido no Hotel e um delicioso Cruzeiro de duas horas pelo Estreito de  Bósforo.
E sobre o Cruzeiro, o que dizer? As fotos mostram
E para fechar a noite, após o Cruzeiro,   fui jantar no Restaurante Mihri, um lugar despojado e tranquilo, com mesas ao ar livre. 
Neste restaurante há sempre música ao vivo e à noite, a grande atração é a apresentação de um Dervixe. E o que é um Dervixe? São homens que fazem parte de uma seita mística e que entram em transe através dos cantos e da sua dança. 

E a noite termina com essa bela imagem da Mesquita Azul, coberta pelas águas dançantes e coloridas do chafariz - nem precisava, mas é tudo diversão!

*****

A viagem continua com nossos vídeos, não deixem de assistir!

16 comentários:

  1. Adorei este presente matinal! Este lugar é lindo! Claro que não aproveitei esta visita a Hagia Sophia como vc. Mt coisa estava tapada em restauração. Lembrro que ficamos reclamando de pagar e não poder ver. Vc matou minha curiosidade com o jarro. Queriamos saber a importância dele. Claro que tb não vi as serpentes! Fiquei contente com uma coisa.... vi o detalhe na saída. Rsrsrsrs Lindo o passeio ao anoitecer. O lugar do jantar foi onde? Lembra o bairro? Hj meu dia começou bem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kátia
      Você passou ao lado e em frente ao Mihri, pois ele fica na praça em frente à Hagia Sophia, e ao lado da Mesquita Azul. Junto com o retaurante funciona uma Casa de Banhos. Na minha visita à Hagia Sophia, uma parte tambpém estava em restauração, mas faz parte. O importante é entrar no clima. Beijos

      Excluir
  2. Que beleza de passeio ! Adorei ver os mosaicos :) bacana a ideia dos vídeos ; já aguardando as cenas dos próximos capítulos rss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lúcia,
      São muitas cenas! Também gostei de ter tido ess aideia de fazer os vídeos. é uma nova maneira de viajar.
      Beijos

      Excluir
  3. JORGE,
    Já estou pesquisando passagens para Istambul!!!! acho que estou com lombrigas!!!!! kkkkk. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kleber,
      ahahhha sabia que você não iria aguentar! Te dou todo o apoio e todas as dicas! e você ainda nem sabe o que vem por aí...
      Abraços

      Excluir
  4. Oi, Jorge! Obrigado por prestigiar o Fui e Vou Voltar! Suas postagens sobre Istambul estão ótimas! Também irei aproveitar suas dicas, pois estou retornando lá em janeiro de 2015. É trocando figurinhas que fazemos grandes roteiros :-)

    Abraço e ótima viagem sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alessandro!
      Saiba que seu Blog me ajudou muito nessa viagem à Istanbul! E espero que meus posts te tragam mais inspiração para uma nova viagem. Entendo agora porque você gostou tanto da cidade e já está planejando voltar. Aproveite!
      Abraços

      Excluir
  5. Que delicia! Viajando de novo por Istambul!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ainda teremos muito para viajar Cândida!
      Beijos

      Excluir
  6. Parabéns, Jorge, pelo post. Muito bem escrito ... parece que estamos andando com você pelos locais mencionados de Istambul, belíssima cidade que vale a pena conhecer. Estou aguardando os próximos posts.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Wilson!
      Continue viajando com a gente!
      Abraços

      Excluir
  7. Maravilha, Jorge!
    Dia perfeito!
    Aguardando as próximas aventuras.

    ResponderExcluir
  8. Conhecendo Istambul com VC!

    ResponderExcluir

Curtiu a viagem? Então comente e deixei o blogueiro feliz!

Balcão de Perguntas

Nome

E-mail *

Mensagem *